Archive for dezembro, 2006

Dançando com o Papai Noel

SantaVocê ainda está tentando enviar sua mensagem natalina?!!! Então vá ao site North Pole Dance e faça o Papai Noel dançar em vários estilos e cenários. Você escolhe o cénário onde o chapeuzinho vermelho irá fazer a sua apresentação, escolhe também os estilos de dança,  clica em “Shake it” e o Santa começa a dançar em todos os estilos que você escolheu. O mais ridículo é que você também pode colocar uma foto do seu rosto no lugar da cara do bom velhinho. Aí, a piada fica completa! Divirta-se e bom Natal!!!

Anúncios

24 dezembro, 2006 at 11:10 am Deixe um comentário

A formatura de uma turma supimpa

FormaturaFinalmente consegui duas fotos e o texto que os oradores de uma das turmas falaram durante a formatura do 3º Ano do Ensino Médio do Colégio Friburgo. Para ampliar as fotos, basta clicar nelas. O texto, lido pelos alunos Alessandro Bruder Natalini, Camila Cristina Tieppo Tessilia, Felipe Barbosa Ferraz Petrucci E Renato Issamu Endo, da turma A, é o seguinte:

Boa noite senhores pais e familiares,

Momentos inesquecíveis são vários, e alguns, inclusive, marcam pela comicidade.
Por exemplo, o dia em que a pá de lixo caiu sobre a cabeça da Vera quando ela abriu a porta.
Do hilário para o terror em segundos, nunca vimos ela tão brava.
Ou senão quando um FVNI (Frango Voador Não Identificado) colide seqüencialmente com o ventilador e a lâmpada, fazendo com que ela caísse no chão (FOI COMO SE O TEMPO PARASSE, ELA CAIU LENTAMENTE DIANTE DOS NOSSOS OLHOS ATÉ SE ESPATIFAR).
Também havia brincadeiras, digamos, “fora de hora”. Sabe como é, no 1º ano a responsabilidade não bateu ainda. Como esquecer do “CADA MACACO NO SEU GALHO” (nesse momento os alunos sentados trocam de lugar e nós olhamos com cara de “O QUE É ISSO?”).
Ou senão o “AH, QUE SAUDADES DE CASA” (os alunos voltam aos seus lugares). Começamos o 2º da mesma maneira, só que após o 1º trimestre as coisas complicaram um pouco. Era hora de amadurecer.
Haja estudo. Bem puxado e cansativo. Só que nesses momentos boas risadas demos.
Como esquecer das maravilhosas 4 aulas semanais de gramática, inclusive uma dobradinha nas duas últimas aulas de 4ª? Paulo ficará para sempre em nossos corações.
Mas óbvio que não foi só ele que nos marcou. Impossível esquecer as representações “histórico-teatrais” do XIS enquanto explicava a matéria de história (nesse momento um dos oradores puxa o SIBERIA) ou as insuperáveis piadinhas do CELLI no meio das aulas de física.
Cada professor marcou à sua maneira e não só no Ensino Médio. WAGNER, SILVIA, LUCY, SONINHA e ZÉ GERALDO também ficarão para sempre na nossa memória.
Mas não há duvidas que a coisa mais marcante são as amizades. Algumas que se perpetuarão ao longo do tempo, outras que infelizmente se perderão, mas não nas lembranças.
Para falar disso nada mais apropriado do que nossa viajem de formatura. Pode parecer meio clichê, mas a viagem nos aproximou ainda mais e os últimos 3 meses foram de uma amizade bem mais sólida.
Nas últimas semanas pudemos notar essa aproximação com as brincadeiras de todos, ao virmos para a escola travestidos ou fantasiados de alguma outra coisa.
Sabe como é, quando você esquia junto, vai pra balada junto, dorme junto, almoça junto, faz guerra entre quartos junto, você acaba conhecendo o outro muito melhor.
Tínhamos até um quarto “comunitário”. Afinal quando 3 caras ficam 2 horas presos no quarto, a única solução é mandar um troglodita arrombar a porta.
Vocês sabem né, na Argentina as coisas são solucionadas bem paulatinamente. Foram só 4 dias para trocarem a porta! Mas nada que atrapalhasse, porque, inclusive, foi muito engraçado.
E o dia da volta então?! Chegamos ao aeroporto e todos os pais esperavam por nós. Mas antes, para marcar o momento mais inesquecível de todos, nada melhor do que um brinde à amizade!
Neste exato momento estamos encerrando um ciclo, uma era. A partir de agora cada um segue o caminho que acha que deve seguir. Esperamos que esses caminhos não sejam paralelos, mas sim que se cruzem muitas vezes.
Formatura - Turma AObrigado Friburgo pelo apoio e pela excelente formação, não só acadêmica mas também humana.
Obrigado professores pela sua paciência e dedicação em nos ajudar a ser o que somos.
Obrigado principalmente aos nossos pais e familiares, que nos proporcionaram a oportunidade de estudar aqui e nos conhecermos.

23 dezembro, 2006 at 9:16 am Deixe um comentário

Bom Natal a todos

Acabei de publicar na página Os Mais Lidos, a relação dos textos mais acessados dos últimos 30 dias, já que, até o Natal, não devo postar nada mais, a não ser um sobre a formatura das turmas de 3º ano do Colégio Friburgo, que entrará no ar amanhã pela manhã.

Sobre a lista, Boa Noite, Boa Sorte e o McCarthismo continua em primeiro, mas a novidade é o texto sobre outro filme – Casablanca –, aparece em terceiro lugar, logo abaixo daquele em que comento a eliminação patética do Brasil na Copa da Fifa. Em seguida aparece um texto postado em 30 de outubro sobre uma matéria da revista Época São Paulo. Cortês de corpo e alma, sobre o grande Raul Cortez, é um texto que sempre esteve entre os textos mais lidos, mas não aparecia na primeira lista, e agora está em 9º, logo abaixo de A passagem de Alex Toth, que continua entre os mais lidos.

Bom, agora quero desejar a todos os leitores um Natal maravilhoso!

22 dezembro, 2006 at 6:53 pm Deixe um comentário

Finalmente, a nova Folha Dirigida

Nova primeira páginaFiquei um tempão sem escrever aqui e deixei de contar algumas passagens da implantação do novo projeto gráfico da Folha Dirigida. Mas, Folheando, uma publicação interna para funcionários do grupo, publicou uma matéria que resume bem o sucesso desse projeto. Aproveito para republicá-la a seguir:

A Folha Dirigida comemorou em novembro, 21 anos. A maioridade chegou com mudanças no visual. Desde o dia 21 de novembro as edições do jornal circulam com um novo visual. A mudança já tinha sido implementada no Caderno de Educação, em outubro. Agora, foi a vez do primeiro caderno dar uma “repaginada” no visual.
Ao falar sobre a mudança gráfica da Folha Dirigida, Adolfo Martins lembrou que é difícil sobreviver e crescer no mercado da comunicação. “Posso citar pelo menos oito jornais que fecharam desde que comecei a trabalhar: Diário de Notícias, O Correio da Manhã, O Sol, Diário da Noite, Folha da Semana, Opinião, O Pasquim, A Notícia. Adolfo MartinsUm jornal fecha quando não tem leitores. Por isso, estou sempre ‘brigando’ para que possamos produzir um jornal vibrante e temos conseguido isso”, lembrou . O novo projeto gráfico foi elogiado por Adolfo Martins. “O jornal ficou muito bonito. O Ucha é um profissional competente. Fazer uma reforma gráfica é complicado porque não se pode perder o fio condutor com o leitor. Por isso, tivemos reuniões e reflexões para discutir a mudança. Não há reforma gráfica que faça milagre se o jornal não estiver bom. O conteúdo é que dá sustentação.”
Modesto, o responsável pelo novo projeto gráfico da Folha, Francisco Ucha disse que apenas “ajeitou” o jornal. “Não fiz nada. Quem faz o jornal são os funcionários. A equipe da Redação. Acho que todos estão de parabéns. Tive todo o apoio. Rogério Rangel e Paulo Chico ajudaram muito com o esquema de fechamento que montaram. Rogério chegou a montar um esquema de guerra “, disse brincando.
Mas não foi apenas a Redação que mereceu elogios de Ucha. “Todos os setores colaboraram. Os fotógrafos estão fazendo um bom trabalho. A equipe da Rotativa também. O responsável pela impressão é um ótimo profissional. Tem um cuidado especial para que o material saia com uma boa qualidade”, disse, destacando, no entanto, que o principal elogio deveria ser para a direção do jornal.
“Pela coragem de mudar. A Folha Dirigida já estava segmentada. Esse jornal já era um sucesso e não é todo mundo que tem coragem de mudar algo que está dando certo”, avaliou.
Editora do Caderno de Educação, Belmira Brondani acredita que a mudança deu uma unidade ao jornal. “Acho que agora os dois cadernos estão com uma identidade.”
Diretor de Redação, Rogério Rangel também destacou a simetria do novo projeto gráfico. “Ficou mais bonito. Estou há 15 anos no jornal e sempre dei o máximo para que o jornal crescesse e é bom ver que isso aconteceu. Vamos continuar lutando para levar oportunidades iguais para todos.”
Editor do Caderno de Concursos, Luiz Fernando Caldeira acha que o novo modelo gráfico representa uma grande evolução. “Nós é que temos que agradecer ao Ucha pela paciência que está tendo conosco. Além disso, estamos aprendendo muita coisa com ele”, disse Luiz Fernando. Responsável pela paginação, Sandro Santana agradeceu a mudança. Uma das novidades do novo projeto gráfico é o quadrinho do personagem Concursino, criado por Ota para o jornal.
“Acho que todo o jornal deve ter uma tira de quadrinhos. Serve para quebrar um pouco a seriedade dos temas”, disse Ota.

Para ver mais fotos deste evento, clique aqui. Ou então clique aqui para ver um slideshow.

16 dezembro, 2006 at 1:16 am Deixe um comentário

Mudei o título

Mudei o título da postagem abaixo. É que esse texto, que foi publicado na edição carioca da Folha Dirigida, foi baseado num comentário um pouco mais incisivo que postei em outro blog com o título Esqueça James Bond. Por isso, para evitar duplicidade de nomes na internet, mudei este que postei aqui.

Sobre a bela festa de formatura no Friburgo, no dia 12, estou aguardando alguém me enviar algumas fotos para que eu as publique aqui. É só aguardar mais um pouco.

15 dezembro, 2006 at 1:21 pm Deixe um comentário

O Bond não é mais aquele…

Embora eu não tenha deixado bem claro no texto abaixo, que será publicado amanhã na Folha Dirigida, esse ator que escolheram para interpretar o novo James Bond é horroroso e fica fazendo biquinho o tempo todo. Quem acha que esse é o melhor 007 desde Sean Conery, precisa ser internado…

James Bond com cara de limão passadoEstréia nesta sexta, dia 15, o 21º filme de James Bond, 007 Cassino Royale, que chega aos cinemas sob a desconfiança de muitos fãs, que criticaram intensamente a escolha do ator Daniel Craig para interpretar o famoso agente secreto. E não é sem razão: Craig realmente não tem o carisma necessário para encarnar Bond. Acontece que, ao contrário do que se poderia imaginar, o filme é excelente. Porém, ao entrar no cinema, esqueça tudo o que você conhece sobre o bom e velho Bond e assista a um ótimo filme de ação.
Cassino Royale é o primeiro livro de Ian Fleming sobre o agente secreto. E esta adaptação para o cinema marca uma grande ruptura com tudo o que nos acostumanos a ver numa aventura do mais carismático dos agentes. A começar pela escolha do ator. Além disso, a abertura foi modernizada; a música-tema do personagem não aparece durante o filme, ficando sempre numa sutil insinuação até finalmente surgir em todos os seus acordes num final esclarecedor; não há os fantásticos gadgets e até as mulheres não são tão estontentes quanto Ursula Andress e Halle Berry (só para citar dois exemplos).
É que os produtores Michael G. Wilson e Barbara Broccoli resolveram recomeçar a série, aproveitando o gancho do livro. Aqui, Bond é um agente recém-promovido e ainda pairam dúvidas sobre sua capacidade de ser bem sucedido em missões de alto risco, devido à sua arrogância e inexperiência. 007 Cassino Royale nos mostra também um personagem falível e nos dá novas facetas psicológicas do agente. Tudo isso conspira para poupar Daniel Craig das críticas, já que ele está sendo apontado como o melhor James Bond depois de Sean Connery. Tudo bem, vá ao cinema e tire a sua conclusão.

13 dezembro, 2006 at 7:00 pm Deixe um comentário

A forma das formas do sapato

Bota o sapatoE agora? O que o título acima quer dizer? Que alguém fez um forma de sapato tão perfeita que seria a “forma das formas de sapato” ou ele está se referindo ao formato das formas de sapato? Leia, então, o texto Acentos que fugiram da regra, de Eduardo Martins (autor do Manual de Redação e Estilo de O Estado de S.Paulo), para entender um pouco esse pequeno problema.

2 dezembro, 2006 at 2:47 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Tópicos recentes

Feeds